Chantilly

Autora: Mare Soares
Capa: Mare Soares e Guilherme Lima
Revisão: Bianca Briones
Editoração Eletrônica: Junia Camarinha

 
Certos títulos são verdadeiros enigmas a respeito da obra, oferecendo pistas sutis ao mesmo tempo que nos confundem. Assim, antes de apropriamento dito "resenhar" a obra, gostaria de dividir com vocês algumas opiniões e sensações.
"Chantilly", tem um certo ar moderno, aquele típico despojado cheio de estilo e aprofundado em vertentes alternativas. O título somado a capa me lembrou o filme "O Fabuloso Destino de Amélie Poulain", onde eu ressaltaria as qualidades graça e engenhosidade, junto a uma visão poética e crítica. O bom é que estava certa. "Chantilly" é um livro com todas essas características.


A arte da capa é muito simples e criativa, ela brinca com o próprio nome já que na história não há nenhuma menção ao creme de fato.
Apesar de particularmente não gostar de personagens que se auto-descrevem, o que se encontra nas primeiras páginas do livro, resolvi não me ater em um julgamento nesse início visto ao próprio título do primeiro capitulo: "Chantilly, 17 de outubro de 2020" que muito me intrigou. A história se passa em um futuro próximo, inicialmente, na cidade de mesmo nome na França, e depois segue para outras regiões como Paris e Madri.
O clima. Se existe algo marcante nessa história é a atmosfera que Mare Soares cria. Decadência, grandes vazios pessoais e sociais. Os personagens contribuem com seus atos falhos, seus desvios de personalidade e inseguranças. Não há um personagem que se assemelhe ao outro. Eles são únicos e suas características são fortemente ressaltadas nas suas atitudes e na visão que um faz do outro. Esse tipo de criação é muito interessante pois não é a visão unilateral da autora, e sim intermediada diante a postura do personagem perante os demais, o que os enriquece.
Um mistério é o ponto de nascimento do enredo, mas não é um conto policial, mesmo possuindo investigação, homicídio, pistas que se revelam, todo tipo de interesses - dos egoístas ao humanitários - e segredos, o livro vai além. "Chantilly" esta muito próximo do convívio humano, os protagonistas amadurecem, aprendem, se emocionam o que enriquece a trama.
Não há segredos na diagramação, as páginas são brancas, mas com qualidade. Já a revisão esta de parabéns, o que faz uma grande diferença pois muitos de nós já lemos livros de autores renomados saindo por grandes editoras onde a revisão parece não existir. O que acontece aqui é uma obra feita com esforço particular e que se sobressai às outras que envolvem muito lucro e vários exemplares.
A linguagem da autora é peculiar e possui uma velocidade muito boa, com curvas de esperteza e bela forma somadas a acontecimentos rápidos e sem enrolação. Cabe ressaltar que a história mesmo sendo repleta de personagens e locais que beiram o caótico, a obra esta muito equilibrada. Não há excessos em nenhum momento por conta da autora, tudo é feito com delicadeza, mesmo nas situações de maior tensão ela transmite o ocorrido que emociona e choca sem a necessidade de abusos. 

"Chantilly" é o primeiro livro de uma trilogia que parece ter muito a oferecer. Um livro super envolvente e instigador, sem sombra de dúvida. Está na lista dos "super recomendados" para qualquer público que goste de se surpreender.

O livro no skoob: clique aqui
Acesse também o site da autora: maresoares.com.br onde se pode ler o primeiro capítulo.

Comentários

  1. Lindíssima resenha, Carol!
    Eu sou apaixonada por este livro de Mare e tive o maior prazer de resenhá-lo também, este ano, não sei se já viu ^^
    http://canto-e-conto.blogspot.com/2011/02/chantilly-mare-soares.html

    Big beijo, flor!

    This Gomez
    Canto e Conto

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Entrevista na Editora Coerência