Viagem na Leitura - Infantil, o caminho da abstração.

O motivo da inspiração/exercício eu não posso dizer ainda, mas talvez tenhamos novidades...

Por enquanto:
Processo de abstração e desconstrução.

Durante a faculdade aprendi em aulas de história da arte sobre como a arte (plástica no caso) caminhou para a desconstrução, para a abstração de suas formas, onde o intuito da expressividade é o seu motor e não a representação exata do mundo como víamos anteriormente onde pintores exímios e de muito estudo e técnica eram contratados para pintar a família real, ou uma ou outra personalidade de bens que pudesse pagar pelo seu retrato.
Com o passar do tempo e não havendo mais a mesma necessidade para esses retratos devido a fotografia os pintores mudaram sua forma de trabalhar e seus motivos.
A fotografia não só libertou o artista de sua função reprodutora como mostrou novas formas de ver o mundo. O expressionismo e o impressionismo são isso.
Por outro lado, (e posteriormente) movimentos como o dadaísmo e o surrealismo puderam ir além, sua expressividade muitas vezes aparentemente primitiva é cheia de significados, teorizados ou não. Já, o romantismo, deixou o fervor das emoções dominar o pincel e a tinta sobre a tela, violência, voracidade, rapidez, a intenção e sensações do pintor não se resumiam no “que” exatamente ele pinta, mas também no como, no processo.

Tudo isso para voltar à abstração. Ela é lenta, vagarosa. Não se desconstrói uma idéia, ou se esquiva das técnicas e padrões facilmente. Para voltar a ser e ver o mundo e a arte através de olhos infantis e mesmo assim não partir para rabiscos vazios de sentido, exige certo desprendimento e repetição.

Pode parecer bobo, e de certa maneira, depois dos primeiros, fica mais fácil, e confesso, muito divertido.

Divido um pouquinho do que ando aprontando no papel.
Ainda sem scanner, continuo fotografando.


Viagem na Leitura






Comentários

  1. Maneiríssimos os seus desenhos. Todos eles. (Destaque para o penúltimo.) E quanto ao texto, leigo que eu sou, aprendi algumas coisas.
    vou dar uma xeretada nos posts mais antigos!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Entrevista na Editora Coerência