Postagens

Nos rendemos ao Ebook \o/

Imagem
O Vazio Depois da Janela foi escrito para participar da ação de Dias das Bruxas das #Diabólicas. O conto alterna entre distopia e ficção científica com pitadas de terror.

Sinopse: "Após uma catástrofe, Gabriela, grávida, e seu filho, enfrentam algo mais assustador do que o surto psicótico que tomou a cidade: o vazio."


Link: O Vazio na Amazon










Nihil, vencedor do Prêmio Odisseia de Literatura Fantástica - Melhor Narrativa Longa de Horror 2019, também está na Amazon.
Sinopse:  Enclausurado por muito tempo, o ser humano definha. Do lado de fora, uma espessa neblina dominou países inteiros. Ela mata quem se arrisca a desbravá-la, espalha vísceras, sangue e entrega os gritos a um estranho lugar sem cheiros, sons, luz ou escuridão.
Do lado de dentro os sobreviventes enfrentam sua subsistência. Não há água encanada, ondas de rádio ou energia elétrica. Falta comida e os sentimentos são confusos e intensos.
Não há sol ou chuva para se observar. Não há divisão entre dia ou noite. Os relóg…

Vaquinha e Conto Inédito

Imagem
RIFA ENCERRADA
QUERO AGRADECER A TODOS QUE ME AJUDARAM, DIVULGARAM E CONTRIBUÍRAM COM MINHA VAQUINHA.
As passagens foram compradas e domingo de manhã, embarco para Porto Alegre! \o/
E dia 22/08 — quinta-feira — nos vemos na live para o sorteio no meu instagram @artesdecarolinamancini


Muito obrigada!

*************************************************************************

Olá pessoal.

Sou uma das finalistas do PRÊMIO ODISSEIA DE LITERATURA FANTÁSTICA – 2019, com meu livro de terror, Nihil, lançado em 2018 pela Editora Estronho.

Como eu não esperava de modo algum estar entre os finalistas, não me programei para isso e por conta das despesas da vida (peças do computador que tive que trocar e a pós-graduação), resolvi fazer uma rifa para arrecadar uma ajuda para a passagem de avião, que de Sampa até Porto Alegre, onde vai acontecer a premiação, sai por 900 reais, mais ou menos, contando a ida e a volta.

A rifa ainda vai valer um kit de livros. Nele temos um Nihil, um exemplar do Era Uma…

Uma cômoda (e não só uma caixinha) de surpresas

Imagem
Ser deficiente física é uma caixinha de surpresas. Melhor dizendo, é uma cômoda, cheia de gavetas com surpresas esperadas, que você sabe que, mais dia, menos dia, serão abertas e irão pular até você, lhe agarrando, mudando seus planos, levando-o a repensar cada passo da sua vida.
Já vi discussões de todo tipo, sobre pessoas que veem em nós, pessoas com deficiência, inspirações de superação e garra para suas lutas, e para mim, tudo bem com isso. Não que eu, ou algum de nós, seja melhor, só que aceito bem esse estigma, no lugar do antigo (e ainda bem usado, infelizmente) que nos coloca no grau de maior tragédia, com frases como: “olha só, como eu (pessoa sem deficiência) estou bem, já pensou se eu tivesse aquela doença ali, igual da Carol.” Sim. Existiu. Existe. É terrível, mas hoje já não me abala. Cansei bastante também de ver/ler, inúmeras vezes, sermos representados como catarse do outro, um expurgo falso para quem tem um corpo totalmente funcional e saudável. Somos usados em filme…